terça-feira, 29 de setembro de 2015

DILMA NA ONU


Em discurso na plenária da Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, que acontece na sede da ONU em Nova York, a Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, afirmou, neste último domingo (27), que o país reduzirá a emissão  de gases do efeito estufa em 43% até 2030.

 Foto: Roberto Stuckert Filho/PR


A Presidenta também apresentou aos chefes de Estado e Governo presentes ao encontro – que acaba de adotar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – a serem implementados pelos 193 Estados-membros da ONU até 2030 – as ações que o Brasil realizará para diminuir estas emissões.
“Até 2020, o Brasil pretende: primeiro, o fim do desmatamento ilegal no país. Segundo, a restauração e o reflorestamento de 12 milhões de hectares. Terceiro, a recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradas. Quarto, a integração de 5 milhões de hectares de lavoura-pecuária-floresta”.
Em seu discurso, Rousseff lembrou que o país vai aumentar as fontes renováveis de energia para 45%, e comentou: “Note-se que, no mundo, a média é de apenas 13% dessa participação e, na OCDE, de apenas 7%”.
“O Brasil tem feito grande esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, sem comprometer nosso desenvolvimento econômico e nossa inclusão social. Para tanto, continuamos diversificando as fontes renováveis em nossa matriz energética, uma das mais limpas do mundo. Estamos investindo na agricultura de baixo carbono e reduzimos em 82% o desmatamento na Amazônia. Podem ficar certos que a ambição continuará a pautar nossas ações”, afirmou.
Lembrando a Conferência do Clima (COP 21), que acontecerá em Paris, em dezembro, para aprovar novas metas globais em relação à mudanças climáticas, Rousseff afirmou que “a Conferência de Paris é uma oportunidade única de construirmos uma resposta comum ao desafio global de mudanças do clima. O Brasil tem feito grande esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa sem comprometer nosso desenvolvimento econômico e nossa inclusão social”
Dilma Roussef também falou da importância da adoção da nova agenda de desenvolvimento e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS), que considerou, inovadores.
“A Agenda 2030 desenha o futuro que queremos. Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável reafirmam o preceito da Rio+20, que é possível crescer, incluir, conservar e proteger. Estabelecem metas claras, verdadeiramente universais; evidenciam a necessidade de cooperação entre os povos e mostram um caminho comum para a humanidade. Esta inovadora Agenda exige a solidariedade global, a determinação de cada um de nós e o compromisso com o enfrentamento da mudança do clima, com a superação da pobreza e a construção de oportunidades para todos.”
Em discurso na plenária da Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, que acontece na sede da ONU em Nova York, a Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, afirmou, neste domingo (27), que o país reduzirá a emissão  de gases do efeito estufa em 43% até 2030.
A Presidenta também apresentou aos chefes de Estado e Governo presentes ao encontro – que acaba de adotar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – a serem implementados pelos 193 Estados-membros da ONU até 2030 – as ações que o Brasi realizará para diminuir estas emissões.
“Até 2020, o Brasil pretende: primeiro, o fim do desmatamento ilegal no país. Segundo, a restauração e o reflorestamento de 12 milhões de hectares. Terceiro, a recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradas. Quarto, a integração de 5 milhões de hectares de lavoura-pecuária-floresta”.
Em seu discurso, Rousseff lembrou que o país vai aumentar as fontes renováveis de energia para 45%, e comentou: “Note-se que, no mundo, a média é de apenas 13% dessa participação e, na OCDE, de apenas 7%”.
“O Brasil tem feito grande esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, sem comprometer nosso desenvolvimento econômico e nossa inclusão social. Para tanto, continuamos diversificando as fontes renováveis em nossa matriz energética, uma das mais limpas do mundo. Estamos investindo na agricultura de baixo carbono e reduzimos em 82% o desmatamento na Amazônia. Podem ficar certos que a ambição continuará a pautar nossas ações”, afirmou.
Lembrando a Conferência do Clima (COP 21), que acontecerá em Paris, em dezembro, para aprovar novas metas globais em relação à mudanças climáticas, Rousseff afirmou que “a Conferência de Paris é uma oportunidade única de construirmos uma resposta comum ao desafio global de mudanças do clima. O Brasil tem feito grande esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa sem comprometer nosso desenvolvimento econômico e nossa inclusão social”
Dilma Roussef também falou da importância da adoção da nova agenda de desenvolvimento e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS), que considerou, inovadores.
A Agenda 2030 desenha o futuro que queremos. Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável reafirmam o preceito da Rio+20, que é possível crescer, incluir, conservar e proteger. Estabelecem metas claras, verdadeiramente universais; evidenciam a necessidade de cooperação entre os povos e mostram um caminho comum para a humanidade. Esta inovadora Agenda exige a solidariedade global, a determinação de cada um de nós e o compromisso com o enfrentamento da mudança do clima, com a superação da pobreza e a construção de oportunidades para todos.”

*15 milhões de hectares em recuperação de pastagens, mais 5 milhões de  integração de lavoura- pecuária e florestas, contra 12 milhões de hectares de reflorestamento.

http://nacoesunidas.org/na-onu-presidenta-do-brasil-apresenta-plano-do-pais-de-reduzir-emissao-de-gases-do-efeito-estufa-em-43-2030/

Nenhum comentário:

Postar um comentário