sexta-feira, 19 de junho de 2015

Agrotóxicos


Aumento do Uso de Agrotóxicos

Brasil despeja mais de um milhão de toneladas de agrotóxicos nas lavouras por ano. O que daria, em média, 5 quilos de veneno agrícola por pessoa.


Um relatório, divulgado, pelo Instituto Nacional de Câncer, alerta para o risco que os brasileiros correm por viver num país que é o campeão mundial no consumo de agrotóxicos. 
O Brasil despeja mais de um milhão de toneladas de agrotóxicos nas lavouras por ano. O que daria, em média, cinco quilos de veneno agrícola por pessoa.Os números estão em um documento divulgado pelo Inca, o Instituto Nacional do Câncer, que alerta sobre os riscos do excesso de pesticidas no campo. Quem lida diretamente com as lavouras está mais sujeito à intoxicação. Mas o documento afirma que a exposição a resíduos de agrotóxicos nos alimentos e no ambiente, geralmente em doses baixas, pode afetar toda a população.
Os problemas podem aparecer muito tempo depois, entre eles estão infertilidade, impotência, abortos, malformações, efeitos no sistema imunológico e câncer.
O Inca também critica a permissão do uso no Brasil, de agrotóxicos já banidos em outros países. Caso do glifosato, um dos herbicida mais comuns nas lavouras brasileiras, classificado como provável causador de câncer.
Apesar da preocupação com os agrotóxicos, o Inca deixa claro que as pessoas não devem diminuir o consumo de frutas, legumes e verduras, fundamentais para uma alimentação saudável. O Instituto defende a redução do uso de pesticidas e maior incentivo à produção de alimentos orgânicos.
“Os alimentos orgânicos e produzidos sem agrotóxicos têm uma concentração maior de vitaminas, minerais, e de compostos que previnem o câncer”, explica Fábio Gomes, nutricionista – INCA.
A Associação que representa o setor de defensivos agrícolas, diz que o documento do Inca é alarmista. E ressalta que os agrotóxicos usados no Brasil passam por rigorosos métodos de análise e regulamentação dos ministérios da Saúde, Agricultura e Meio Ambiente.
De acordo com a última análise feita pela Anvisa em mais de 1.300 amostras, de 22 alimentos, 75% estavam dentro dos padrões. Mas 25% tinham agrotóxicos não permitidos ou acima do limite. A abobrinha foi a campeã: quase metade das amostras estava irregular.
O que levar para mesa de casa, é uma escolha difícil para o consumidor. “É uma uma roleta russa”, afirma um consumidor.
A Anvisa anunciou que os agrotóxicos citados no relatório do Inca vão ser reavaliados. Segundo o Ministério da Agricultura, a legislação brasileira do setor segue padrões reconhecidos pela comunidade científica internacional. E a fiscalização da venda e do uso de agrotóxicos cabe aos estados e municípios.
Reproduzido na íntegra: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/04/relatorio-alerta-sobre-riscos-do-excesso-de-agrotoxicos-no-campo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário